Confidencial

Mesmo exibido posteriormente ao lançamento de “Capote”, “Confidencial” não fugiu das inevitáveis comparações com o filme do diretor estreante Bennett Miller e que consolidou definitivamente a carreira de Philip Seymour Hoffman, vencedor do Oscar de melhor ator em 2006. Ambos são projetos de personalidade própria, mas é na visão de Douglas McGrath – também roteirista, inspirado pelo livro de George Plimpton – onde constatamos uma entrega mais evidente. Ainda que mais popular, o cineasta Miller compôs um filme tão formal que pouco dali poderia ser expressivo o suficiente para ocupar por um longo tempo as memórias de seus espectadores. Tendo uma postura oposta, McGrath cria momentos descontraídos nos momentos exatos e esbanja sentimentos quando tudo caminha para destinos mais drásticos.
Com um pontapé semelhante deCapote”, o escritor no auge da fama literária (aqui interpretado por Toby Jones, absurdamente perfeito e mais fiel as características de Truman Capote) deseja criar um gênero inovador, o romance de não-ficção. O processo de desenvolvimento lhe custou seis anos de dedicação e a história que ganhou o título de “A Sangue Frio” foi um sucesso de vendas, tornando-o um profissional mais prestigiado e rico. Para isto, chamou sua melhor amiga, a também escritora Harper Lee (Sandra Bullock, ótima), para ser a sua companhia nesta longa jornada. É em Kansas que sucedeu o assassinato de quatro membros de uma mesma família, cometido por Perry Smith (Daniel Craig) e Dick Hickock (Lee Pace). E é com a captura de ambos que Capote prossegue sua investigação jornalística com mais resultados, pois consegue acesso freqüentemente para entrevistas, especialmente com Perry.
Assim, neste convívio entre os dois personagens, temos a maior força do filme, revelando detalhadamente a causa da prisão e o passado do assassino e escritor em conversas íntimos, se transformando em paixão (e maior polêmica da fita) de um pelo outro. Parece inacreditável, mas é neste laço que o filme constrói onde conseguimos compreender com mais certeza os motivos que fizeram o famoso escritor não encontrar mais inspiração para escrever outro sucesso sequer e até mesmo torcer que Perry consiga sobreviver de algum modo, mesmo já cientes de que sua morte é pura questão de decisão judicial. E por este motivo, “Confidencial” é rondado de mais comoção com os quais o público se importe verdadeiramente com este relato real. A recepção seria mais justa se o preconceito de distância das exibições ao redor do mundo não se tornasse tão expressiva para muitos.
.
Título Original: Infamous
Ano de Produção: 2006
Direção: Douglas McGrath
Elenco: Toby Jones, Daniel Craig, Sandra Bullock, Lee Pace, Jeff Daniels, Hope Davis, Sigourney Weaver, Isabella Rossellini, Peter Bogdanovich, Juliet Stevenson e Gwyneth Paltrow.
Nota: 8.0

32 Comments

  1. sABE QUE JUSTAMENTE O QUE ME surrpreendeu foi a atuação de Bullock, pois o filem não “aconteceu” comigo, estava muito preso a imagem do outra produção. É brabo isso, mas acontece – vejo caso igual no competente Ecos do Além que foi sugado e sumido pelo estrondoso O Sexto Sentido.

    Curtir

    Responder

  2. Felipe, compreendo o seu conceito. Realmente é um tanto difícil se apegar a algo quando você já o fez de outro modo no passado. Coincidentemente, comprei nesta última semana o filme “Ecos do Além”, mas é tão bom que nem sinal de “O Sexto Sentido” (um filme ainda melhor) no decorrer da história.

    Curtir

    Responder

  3. O filme de Miller sem dúvida era formalista, distanciado, quase frio, mas também muito bem dirigido e tecnicamente apurado. Acho difícil criar interesse em ver essa outra versão, até porque pelo trailer passava a impressão de ser um pastiche. Mas me surpreendi com os argumentos apresentados a favor dele aqui, e o elenco é atraente, não há como negar. Quem sabe eu o pegue-o em DVD algum dia!

    Curtir

    Responder

  4. Amigoestou devendo um comentario aqui …mas calma … batendo o ponto, vejamos …Curiosamente Capote nunca me chamou atenção para assistir por alguns disserem não ser tão fiel quanto pode, mas já confindencial já ouvi grandes e sinceros comentarios fazendo assim um convite a minha pessoa a assistir … vamos ver se em alguma locadora perto de casa tenha esse filmeabraços amigo

    Curtir

    Responder

  5. Gustavo, posso afirmar que, apesar das evidentes semelhanças, os filmes são muito, muito distintos. Não se engane enquanto ao elenco, pois quem mais aparece são Jones, Bullock, Daniels e Craig. Outros integrantes do cast como Gwyneth Paltrow fazem pontas especiais – mas dizem a que veio.

    Curtir

    Responder

  6. JP, fica difícil desvendar se “Capote” é fiel ao fato, pois ele nos mostra os bastidores do desenvolvimento de um livro e não a adaptação do mesmo. O filme está no poder da Alpha Filmes, o que deve garantir dificuldades em encontrá-lo em qualquer locadora.Bom feriado.

    Curtir

    Responder

  7. Prefiro o filme de Bennett Miller. Acho Confidencial um pouco frio e extravagante, mas certamente tem grandes pontos positivos, como a ótima interpretação da Sandra Bullock, surpreendente.NOTA: 6.5

    Curtir

    Responder

  8. Ah, Matheus!Mas extravagância tem tudo haver com Thuman Capote!E a Sandra Bullock já é figura fácil na minha lista de melhores atrizes coadjuvantes. Vai saber por que as premiações lembraram da insossa Catherine Keener, e não de Bullock.

    Curtir

    Responder

  9. Alex, finalmente você fala sobre esse filme por aqui. Ainda não consegui conferir “Confidencial”, mas já gostei do que você disse: que ele se diferencia de “Capote”. Isso é que é importante, já que, quando a gente vê filmes com o mesmo tema, procura assistir ao que tem melhor recomendação. E esse “Confidencial” passou meio que despercebido.

    Curtir

    Responder

  10. Sou fã de “Capote” e tive que esquecer um pouco do filme para ver esse “Confidencial”. Adorei o resultado, pois ainda que não seja tão bom quanto o filme com o Philip Seymour Hoffman, consegue mostrar outra visão sobre o mesmo tema. Sem dúvida um ótimo filme, concordo com seus comentários.Abraço!

    Curtir

    Responder

  11. Kamila, “Confidencial” só se assemelha mesmo de “Capote” pelo tema abordado, pois a forma como ele é encenado é muito distinto. Recomendo que veja às pressas essa grande produção!

    Curtir

    Responder

  12. Vinícius, também gosto bastante do filme “Capote”, mas pude encontrar mais virtudes no filme de Douglas McGrath. Mesmo com essa diferença de opiniões, já estou satisfeito por ter concordado com a minha análise.

    Curtir

    Responder

  13. Cassiano, mas não deixe “Confidencial” passar batido. O problema é que as duas produções foram rodadas praticamente no mesmo período, mas os produtores do filme de McGrath optaram por lança-lo somente depois de algum tempo. É um belo trabalho que merece ser apreciado.

    Curtir

    Responder

  14. Evitei todas as comparações com Capote, mesmo assim, achei Confidencial superficial, frio, principalmente em relação ao relacionamento entre Truman e Perry, que soou muito fraco e distante. O elenco é sem dúvida o maior destaque, com Bullock como a melhor de todos. Nem a produção convence, ao lado da direção pouco inspirada e do roteiro bem, bem leve. Sou muito mais a densidade e a relevância de Capote, que promoveu um estudo mais completo sobre o personagem e sua relação com o livro e os acontecimentos. Fora que Hoffman é muito mais ator que Jones.*** [6,5]

    Curtir

    Responder

  15. Tenho muita curiosidade para ver esse filme. Gosto muito de Capote e mesmo trazendo o mesmo personagem, acredito que esse filme trará uma sivão diferente sobre o drama do escritor norte-americano. Espero ansiosamente.Lá no Moviola Digital, uma entrevista com o Cláudio Assis que consegui fazer com uma colega. Valeu!!

    Curtir

    Responder

  16. Como a Kamila disse…O fato de Capote e Confidencial serem diferentes…é o que importa!A diferenciação tem que existir!Ainda não vi nenhum dos dois….rsrsrs! Pode acreditar!Então fico por aqui na discussão…Belo texto….ótimas comporações!

    Curtir

    Responder

  17. Wally, sinto muito mas discordo de absolutamente tudo, desde o conceito até sobre os pontos que você imprimiu sobre o filme. Não há como negar que “Confidencial” consegue atingir o âmago do seu espectador nos instantes finais, quando o destino de Perry Smith é selado.Além do mais, o roteiro é denso o suficiente para nos fazer envolver com o trágico passado de Perry e o melancólica juventude de Capote. Coisa que a produção estrelada por Hoffman não fez em momento algum.Reveja o filme!

    Curtir

    Responder

  18. Rafael, pode ter certeza de que você não verá uma cópia de “Capote”. Ainda que gire em torno da mesma premissa, “Confidencial” é único, é uma produção de tremenda personalidade!Vou passar durante este Domingo no seu endereço para acompanhar a entrevista realizada.Abraço.

    Curtir

    Responder

  19. Otavio, Philip Seymour Hoffman é um dos grandes motivos que fazem “Capote” ser uma produção acima da média, ainda que eu também não seja lá grande fã (pouco me recordo sobre o filme). O filme já está disponível no formato desde o mês passado. Vale o aluguel!

    Curtir

    Responder

  20. William, recomendo que veja, então, as duas produções. Sei que a embalagem é típica daqueles filmes que você pensa na hora de ir na locadora: “hum, deve ser bom, mas vou deixar para uma próxima vez”. Mas vale a pena dedicar um tempinho para assistir aos filmes. Ah, aproveitarei a ocasião e alugarei no início de dezembro o filme “A Sangue Frio”, que é inspirado inteiramente em Penny Smith e Dick Hickock .

    Curtir

    Responder

  21. Anderson, não seja mau!Bullock está muito bem no papel, o que é difícil de se constatar na difícil fase que está vivenciando recentemente em sua carreira, pois só destaco sua presença neste “Confidencial” e em “Crash – No Limite”.

    Curtir

    Responder

  22. […] Em 2012: Jean Dujardin, por “O Artista” Em 2011: Mikael Persbrandt, por “Em Um Mundo Melhor“ Em 2010: Nicolas Cage, por “Vício Frenético“ Em 2009: Richard Jenkins, por “O Visitante” Em 2008: Philip Seymour Hoffman, por “Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto” Em 2007: Toby Jones, por “Confidencial“ […]

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s