Um Olhar do Paraíso

Um Olhar no ParaísoFilmando e lançando cada um dos três longos episódios que compõem “O Senhor dos Anéis” e com a atualização de “King Kong”, o seu projeto mais pessoal, se tornando realidade, “Um Olhar do Paraíso” foi relacionado durante esse período como um dos projetos futuros de Peter Jackson. Com isso, essa adaptação de “Uma Vida Interrompida – Memórias de um Anjo Assassinado”, da escritora Alice Sebold, tornou-se um projeto cercado por expectativas, pois Peter Jackson além de se consagrar com os títulos mais indispensáveis da década passada também foi laureado com uma estatueta de melhor diretor por “O Senhor dos Anéis – O Retorno do Rei”.

A narrativa se empenha em acompanhar a pequena Susie Salmon (Saoirse Ronan, indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante por “Desejo e Reparação” e que teve desempenho excepcional em “Atos que Desafiam a Morte”) após o seu assassinato. É no paraíso onde Susie vê os desdobramentos das investigações sem resultados da procura pelo seu cadáver, pois o psicopata que a matou, George Harvey (Stanley Tucci), nada mais é do que o pacífico vizinho da rua ao lado. Porém, o maior interesse de Susie é no choque que o seu desaparecimento provocou ao seu pai Jack (Mark Wahlberg, substituindo Ryan Gosling) sua mãe Abigail (Rachel Weisz), sua avó Lynn (Susan Sarandon) e seus irmãos Buckley e Lindsey (papéis de Christian Thomas Ashdale e Rose McIver).

Pode-se afirmar que acompanhar é a única pretensão de Peter Jackson, pois o seu “Um Olhar do Paraíso” é totalmente pobre, especialmente na economia que usa para retratar o luto da família Salmon. O drama atinge o cúmulo da bizarrice quando, de uma hora para outra, a matriarca encarnada com a inexpressividade de praxe de Rachel Weisz decide abandonar a família. Já grande parte do orçamento de 65 milhões de dólares provavelmente foi investida em efeitos visuais para o paraíso imaginável de Susie, ainda mais limitado do que aquele de “Amor Além da Vida”. Ao menos há um acerto que não deve passar em branco: a extraordinária interpretação de Stanley Tucci. O ator, que diz que seus filhos nunca assistiram ao filme por causa de seu personagem, cria o perfil de uma pessoa fria ao ponto de provocar arrepios em todas as suas cenas. Mas nem o intérprete é poupado do constrangimento, sendo vítima de uma última aparição burlesca.

Título Original: The Lovely Bones
Ano de Produção: 2009
Direção: Peter Jackson
Elenco: Saoirse Ronan, Stanley Tucci, Mark Wahlberg, Rachel Weisz, Rose McIver, Christian Thomas Ashdale, Amanda Michalka, Jake Abel, Nikki SooHoo e Susan Sarandon.
Cotação: 2 Stars

12 Comments

  1. o livro sim é interessante. Recomendo a quem quiser ler a história escrita por Alice Sebold a encarar sem medo- independente do resultado do filme ( eu ainda náo vi, vou ver) a trama contada por ela é muito boa e instigante. O filme ? não sei ….

    Curtir

    Responder

  2. Sério? Sabia que a direção não era das mais inspiradas, mas ao atores não escapam? Eu adoro a Weisz e me espanta sua opinião, mas respeito. Tucci parece ser mesmo o destaque no longa. Ainda não assitir, mas agora vou com um pé atrás. -rsr;

    Curtir

    Responder

  3. Hum. Vejo daqui a uma ou duas semanas, não sei ao certo a data, mas veremos…

    Mas é triste mesmo que você achou decepcionante. Gran Torino muitos acharam ruim e eu adorei. Portanto, ainda tem uma esperança lá no fim do túnel!

    Curtir

    Responder

  4. – Gustavo, até os brutos erram. E estão todos jogando pedras na produção. Com razão, entretanto.
    – Mayara, não. E o Paraíso neste filme está mais com pinta de Inferno. 😀 Beijos!
    – Marcelo, tenho um amigo virtual que diz que o filme tinha tudo para ser excelente, mas que é muito contido diante do livro. Depois quero saber o que você achou quando assisti-lo.
    – Luis, para mim a única pessoa que escapa do mico é Stanley Tucci, que tem um desempenho perturbador. O resto é resto, infelizmente. Fique com os dois pés atrás.
    – Diego, quem não gostou de “Gran Torino” merece ser encaminhado para o psicólogo, já que o filme de Eastwood se trata de um dos mais notáveis filmes exibidos por aqui no ano passado.

    Curtir

    Responder

  5. Cara, considerando a maneira como você já foi assisti o filme, talvez isso tenha te influenciado bastante no resultado final. Mas logicamente, também pode não ser. Independente disso quero vero filme e tirar minha próprias conclusões!

    Curtir

    Responder

  6. Credo. Esperava que fosse pobre, mas nem tanto. Discordo completamente de você sobre a Rachel Weisz, acho-a uma boa atriz. Quem me incomoda no elenco é o Wahlberg. Enfim, nunca fui fã do Peter Jackson e não estava nada ansioso para essa sessão.

    Abração!

    Curtir

    Responder

  7. Acho que “Um Olhar do Paraíso” ficou, sim, aquém das expectativas dos cinéfilos (a nível de mundo), mas consegue prender a atenção e nos envolver com alguns de seus elementos. Há partes terríveis, de tão ruins e mal feitas, mas no geral mantém-se no nível da aceitabilidade.

    Curtir

    Responder

  8. – Robson, e o senhor levou a sério o que falei no Twitter? Aguardava por um bom filme, mas não imaginava que o resultado fosse tão desastroso.
    – Alexsandro, eu gosto do Mark Wahlberg, o problema é o péssimo gosto dele para escolher trabalhos (“Max Payne”, “Atirador”, “Quatro Irmãos”). Enfim, o senhor não deve gostar. Abração!
    – Weiner, o único aspecto que me manteve “ligado” no filme foi mesmo a performance de Stanley Tucci. O restante merece ir para a lixeira.

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s