Resenha Crítica | Diário de Um Jornalista Bêbado (2011)

Diário de Um Jornalista Bêbado | The Rum DiaryLançados no Brasil com uma diferença de quase três meses, “Diário de Um Jornalista Bêbado” e “Na Estrada” são inspirados em dois nomes essenciais da literatura norte-americana. Como repórter, Hunter S. Thompson inaugurou o Jornalismo Gonzo, que acontece quando um escritor se mistura com a própria história que está criando, independente da mídia que ela será direcionada. Sem formalidades e imparcialidade, o estilo pode ser reconhecido em “Medo e Delírio em Las Vegas”, que foi escrito por Thompson. Embora Jack Koureac, precursor da geração beat, nada tenha a ver com Hunter S. Thompson, é interessante notar que ambos se tornaram famosos pela rebeldia com que lidavam com a escrita. Uma sessão dupla com “Diário de Um Jornalista Bêbado” e “Na Estrada” seria recomendável se as adaptações não se mostrassem tão desapontadoras.

Na comparação com o trabalho de Walter Salles, o filme de Bruce Robinson leva uma pequena vantagem. Johnny Depp vive Kemp, alter ego de Hunter S. Thompson. Nos primeiros momentos de “Diário de Um Jornalista Bêbado”, Kemp é contratado por Lotterman (Richard Jenkins) para ser um dos repórteres de um jornal de Porto Rico. Incapaz de passar uma hora sem consumir alguma bebida alcóolica (a preferência, claro, é um bom copo com rum), Kemp parece incapaz de julgar a si mesmo ao se envolver com Chenault (Amber Heard), a tentadora noiva de Sanderson (Aaron Eckhart), poderoso empresário que convoca Kemp para auxiliá-lo a se popularizar como uma figura confiável, mesmo que por trás de tudo esteja se envolvendo com esquemas corruptos para a construção de propriedades no local.

Como se imagina, Kemp se aproveitará de sua função como jornalista para tentar tirar alguma vantagem de toda a situação, caracterizando assim o citado Jornalismo Gonzo. Com isto, Bruce Robinson, que não rodava um filme desde o suspense “Jennifer 8 – A Próxima Vítima”, aproveita para representar na tela o texto descompromissado de Hunter S. Thompson, por vezes explorando as inúmeras confusões originadas em noites de bebedeira com Sala, o colega de trabalho de Kemp interpretado pelo excelente Michael Rispoli.

Quando “Diário de Um Jornalista Bêbado” precisa encenar passagens em que há mais seriedade, sente-se que o filme atinge um limite. As consequências da amizade questionável entre Kemp e Sanderson acontecem sem nenhum impacto e o resultado final da adaptação não se aproxima da mesma curiosidade do livro quanto a origem do Jornalismo Gonzo. Por fim, mesmo que seja um ator excelente, Johnny Depp não faz um Kemp vibrante como o aguardado. Amigo íntimo de Hunter S. Thompson (que cometeu suicídio em 2005), Depp não parece plenamente à vontade ao dar vida ao alter ego de seu ídolo.

Título Original: The Rum Diary
Ano de Produção: 2011
Direção: Bruce Robinson
Roteiro: Bruce Robinson, baseado no romance homônimo de Hunter S. Thompson
Elenco: Johnny Depp, Aaron Eckhart, Michael Rispoli, Amber Heard, Richard Jenkins, Giovanni Ribisi, Amaury Nolasco, Marshall Bell, Bill Smitrovich, Julian Holloway, Bruno Irizarry, Enzo Cilenti, Aaron Lustig e Tisuby González

4 Comments

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s