Resenha Crítica | De Canção em Canção (2017)

Song to Song, de Terrence Malick

Antes um cineasta bissexto, Terrence Malick é agora um sujeito que filma sem parar. Quem vê um filme com a sua assinatura não precisará mais aguardar quase uma década por mais. Na verdade, nem precisa esperar por um ano. Mas algo se perdeu, pois o que antes parecia ser algo confeccionado com muito cuidado e delicadeza hoje não passa de repetição. De engodo mesmo, para ser bem franco.

“De Canção em Canção” é ambientado na cena musical de Austin, Texas, mas bem poderia ser uma reunião de recortes abandonados na ilha de edição de outras obras igualmente insípidas de Malick, como “Amor Pleno” e “Cavaleiro de Copas”. Veja no vídeo abaixo um apanhado da carreira do cineasta e a minha impressão geral sobre “De Canção em Canção”.

.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s