Resenha Crítica | Corpo e Alma (2017)

Teströl és lélekröl, de Ildikó Enyedi

Os jornalistas presentes em 2017 no Festival de Berlim não compreenderam muito bem a deliberação do júri presidido pelo cineasta holandês Paul Verhoeven, que conferiu ao húngaro “Corpo e Alma” o Urso de Ouro de Melhor Filme. A partir de uma análise mais fria, a concorrência não era lá muito inspirada, mas a diretora Ildikó Enyedi, em seu primeiro longa-metragem em 18 anos, de fato constrói uma obra imperfeita.

O que se tem na narrativa é o encontro entre dois protagonistas nada óbvios e totalmente diferentes entre si a partir de um certo lirismo que se desenha. No caso, dois funcionários de um abatedouro, Endre (Géza Morcsányi) e Mária (Alexandra Borbély), que vão se aproximando quando descobrem no curso de um caso criminal interno que estariam sonhando diariamente com o encontro de cervos em um bosque.

De um lado, Endre está na faixa dos 50 anos e tem o seu braço esquerdo paralisado em decorrência de um AVC. Do outro, Mária é uma mulher muito mais jovem, extremamente avessa ao toque humano e na vida privada presa em um quarto que parece de uma menina prestes a atingir a pré-adolescência. Juntos, tentam identificar o que o sonho que partilham significa.

Com as estranhezas que esse relacionamento provoca, Ildikó Enyedi, também autora do texto, costuma um filme com duas horas que se beneficiaria com 20 minutos a menos, estes desperdiçados em uma subtrama que não leva a lugar algum. Neste caso, já é consenso crítico de que a investigação sobre o roubo de estimulantes para a procriação de animais é nula.

O que não significa que o romance, o que verdadeiramente move “Corpo e Alma”, seja comprometido com essa escolha. É bela a maneira como Enyedi vai costurando a aproximação entre Endre e Mária e o nó na garganta que passa a forçar na entrada do clímax, fazendo com que o seu filme se transforme em uma memória muito mais permanente em nós. A cantora folk Laura Marling deve inclusive estar orgulhosa do efeito devastador que a sua “What He Wrote” causa aqui.

.

Lançamento em streaming:
Disponível a partir do dia 22 de fevereiro
 | NOW (R$14,90) | VIVO PLAY (R$ 11,90) | Google Play (R$9,90) | YouTube (R$9,90) | iTunes (R$11,90)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s