Resenha Crítica | Cinemagia: A História das Videolocadoras de São Paulo (2017)

Cinemagia: A História das Videolocadoras de São Paulo, de Alan Oliveira

A magia de frequentar uma sala de cinema é incomparável, mas lá atrás existiu um grupo imenso de cinéfilos formados a partir de um ritual muito mais modesto para se assistir filmes. As idas nas vídeolocadoras também tinham um encanto todo singular, servindo de uma porta de entrada muito mais ampla que a programação de cinema em que se passava horas selecionando os títulos que seriam levados temporariamente para casa para preencher o nosso horário de lazer.

Quem nasceu na geração 2000 nem deve saber o que é um VHS, o formato de vídeo que reinou soberano nas lojas de aluguel por duas décadas. Porém, são poucos que hoje em dia seguem sequer preservando os novos formatos ou possibilitando que as vídeolocadoras sigam firmes, uma vez que o streaming se consagrou como um substituto.

Dentro desse panorama um tanto melancólico, Alan Oliveira traça em “Cinemagia: A História das Videolocadoras de São Paulo” o histórico das vídeolocadoras, que começaram a surgir nos anos 1980 com procedimentos ilegais e que nos últimos anos desapareceram ironicamente a partir da pirataria, facilitada com a transição do VHS para o DVD e a banda larga com custos mais flexíveis e como ferramenta para a obtenção de amplo acervo em alta definição. É bem como diz Tânia Lima, diretora executiva da UBV&G: quem não viveu ou não se interessa por esse período, está ignorando uma história cheia de muitos valores a se empregar na apreciação de um filme.

O que se tem no documentário é um material coletado ao longo de três anos por Alan, priorizando os depoimentos de nomes que foram essenciais para o enraizamento das vídeolocadoras especialmente em São Paulo, dos pioneiros que iniciaram o procedimento do empréstimo dos filmes a partir de cópias ilegais, daqueles que regularizaram o nicho (como os sócios da CIC, que atendeu pela distribuição das obras dos maiores estúdios americanos), até os demais que lutaram por sua preservação – muitos sem sucesso. O colega Christian Petermann, falecido em maio de 2016, está entre os entrevistados pelo documentarista.

A boa apuração de cada etapa desse agora extinto mercado de vídeo impede que “Cinemagia: A História das Videolocadoras de São Paulo” verbalize um pouco mais sobre a relação do consumidor final, justamente o espectador, com um entretenimento antes materializado em uma mídia e hoje muito mais acessado em sua encarnação virtual. De qualquer modo, isso não impede do documentário causar certa comoção principalmente diante dos privilegiados que viveram em gerações que tiveram uma conexão doméstica com o cinema muito mais enriquecedora.

.

+ Entrevista com o diretor Alan Ribeiro

.

Lançamento em streaming:
Disponível a partir do dia 1º de ma
rço no iTunes e Google Play.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s