Exposição David Bowie

David Bowie Aladdin Sane

Abrigada pelo MIS – Museu da Imagem e do Som, a Exposição Stanley Kubrick iniciou tímida em temporada de Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e se despediu com filas formadas por visitantes que contornavam o quarteirão da Avenida Europa. Desde o dia 31 de janeiro aberta ao público, a Exposição David Bowie também acontece no MIS e veio com a expectativa de igualar a popularidade da Exposição Stanley Kubrick.

Talvez o roqueiro mais versátil ainda vivo, David Bowie consolidou uma carreira com base na excentricidade. Mais do que um compositor extraordinário, o britânico incorporou alguns personagens ainda lembrados em cada fase particular vinda com o sucesso da canção  “Space Oddity”. No início dos anos 1970, Bowie fortaleceu o glam rock ao incorporar Ziggy Stardust, figura andrógina que lhe possibilitou reconhecimento mundial. Daí em diante, veio parcerias com bandas como o “Queen”, um período de reclusão em Berlim e até mesmo algumas investidas bem-sucedidas no cinema em filmes como “Fome de Viver” e “Labirinto – A Magia do Tempo”.

Exposição David Bowie 1

Organizada pela Victoria and Albert Museum (V&A) de Londres, a Exposição David Bowie permite ao fã reviver várias fases do artista ao situá-lo em ambientes que expõem figurinos, rascunhos de suas letras, trechos de documentários, clipes musicais e fotografias. Antes do visitante adentrar o primeiro salão, um aparelho sonoro é entregue. Ao explorar determinada divisão, músicas e diálogos que condizem com o que está sendo visto são automaticamente acionados no aparelho.

Principal atração da Exposição David Bowie, o macacão feito de vinil desenhado por Kansai Yamamoto e usado durante a turnê do álbum “Aladdin Sane” (1973) exigirá alguns minutos de contemplação. Outro atrativo é o salão em que foi instalado telões e manequins em quatro cantos. Ao som de músicas como “The Jean Genie”, e possível sentir-se como em um show do cantor.

David Bowie 2

Apesar de obrigatória, a Exposição David Bowie pode decepcionar. O primeiro problema está na proibição de fotografias em qualquer ambiente. Só será possível trazer duas capturas para casa: uma na recepção que contém uma imagem gigante de David Bowie caracterizado como Ziggy Stardust e outra no Estúdio Bowie. Por sinal, o Estúdio Bowie é a única promessa de interação na exposição, pois contém o karaokê disponível para qualquer soltar a voz. No entanto, o valor é salgado (R$10,00 para cantar uma única música) e a compra do ingresso só pode ser realizada online.

Outra queixa é a ausência de materiais que cubram os últimos vinte anos da carreira de David Bowie. Só há trechos de sua participação em “Basquiat – Traços de Uma Vida” e fotografias mais recentes emolduradas, revelando pouco sobre quem é o artista hoje. Uma pena, especialmente porque o novo álbum de David Bowie, “The Next Day”, foi lançado recentemente e poderia render mais alguns atrativos para a exposição.

A Exposição David Bowie acontece até o dia 20 de abril. Para mais informações, basta clicar aqui.

Serviço:

Recepção MIS
R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia)
Ingressos para a mesma data da visitação à venda a partir de 11/10 nos horários: terça à sexta-feiras, das 12h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 21h. Terças-feiras: Ingresso gratuito.

Exposição Stanley Kubrick

Exposição Stanley Kubrick 00

Objeto de cena de “Laranja Mecânica”.

37ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo

A Mostra Internacional de Cinema foi muito feliz em sua 37ª edição no que diz respeito a retrospectivas. Além de rever as filmografias dos cineastas Eduardo Coutinho e Lav Diaz, os cinéfilos também terão a oportunidade de ouro de assistir na tela grande as obras assinadas por Stanley Kubrick, considerado um dos maiores cineastas da história do cinema.

Os fãs do cineasta notarão a presença de Kubrick além das sessões disputadas para os seus filmes. A aquarela “Ensaio na Chuva”, pintada pela viúva do diretor, Christiane Kubrick, serve de arte para esta edição e também está presente em vinhetas e produtos da Central da Mostra. No entanto, o maior atrativo está na exposição Stanley Kubrick, abrigada pelo Museu da Imagem e do Som (MIS) e inédita na América Latina.

A boa notícia é que os interessados não precisam correr para conferir a exposição. Embora a 37ª Mostra Internacional de Cinema termine dia 31 de outubro, a exposição permanecerá em cartaz até o dia 12 de janeiro de 2014. Ou seja: após uma maratona de filmes das mais diversas nacionalidades, o cinéfilo poderá visitar tranquilamente o espaço.

Visitamos o MIS no último sábado, 19 de outubro, e um ar de decepção surgiu no piso térreo, onde os ingressos podem ser adquiridos. Entre tantos salões, há somente um em que câmeras e lentes usadas por Kubrick durante as filmagens de seus filmes estão dispostos de modo insosso. Há, por exemplo, a câmera Eyemo, usada por Kubrick em “A Morte Passou Por Perto” e que era notória entre repórteres de guerra e documentaristas, e também uma lente Kilfitt Makro-Kilar 90mm, com a qual ele realizava seus notáveis close-ups. No mesmo ambiente, há também um acerto pouco vasto de seus trabalhos como fotógrafo para a revista Look – a famosa captura do ator Montgomery Clift em 1949 tomando café da manhã está inclusa.

Felizmente, os outros acessos do Museu da Imagem e do Som são deslumbrantes e nos ambientam em cada um dos filmes de Stanley Kubrick. Organizado por Deutsches Filmmuseum Frankfurt, Christiane Kubrick e The Stanley Kubrick Archive da University of The Arts London e com curadoria de André Sturm (conhecido pela direção de longas como “Sonhos Tropicais” e “Bodas de Papel”), a exposição traz salas temáticas para cada longa-metragem que compõe a filmografia do realizador americano.

A seguir, compartilhamos algumas capturas da exposição. Devido às restrições quanto ao uso de câmeras fotográficas, bem como a pouca luminosidade de cada sala temática, nossa galeria não contém muitas fotos. De qualquer modo, é possível visualizar uma amostra das atrações em cada ambiente.

Exposição Stanley Kubrick 01

Recriação do cenário de “Dr. Fantástico”, de 1964.

Exposição Stanley Kubrick 02

Objeto de cena de “O Iluminado”, de 1980: “Muito trabalho e pouca diversão faz de Jack um cara bobão.”

Exposição Stanley Kubrick 03

Figurino das irmãs gêmeas de “O Iluminado”.

Exposição Stanley Kubrick 04

Projeção de cenas de “Lolita” (1962) nos famosos óculos da personagem-título.

Exposição Stanley Kubrick 05

Um pouco de voyeurismo em frames de “Lolita”.

Exposição Stanley Kubrick 06

O Oscar de Stanley Kubrick pelos efeitos visuais de “2001: Uma Odisseia no Espaço”, de 1968.

Exposição Stanley Kubrick 07

Claquete das filmagens de “Nascido Para Matar”, de 1987.

Exposição Stanley Kubrick 08

Recriação de cenário de “2001: Uma Odisseia no Espaço”.

Exposição Stanley Kubrick 09

Filosofia de vida.

 

Serviço:

Stanley Kubrick | Ingressos Online
R$ 20 (não há venda de meia-entrada)
Ingressos somente antecipados à venda a partir de 1/10 pelo site: www.ingressorapido.com.br
Atenção: O visitante que realizar a compra antecipada não pode utilizar o ingresso em outra data que não a requerida.

Recepção MIS
R$ 10 (inteira) R$ 5 (meia)
Ingressos para a mesma data da visitação à venda a partir de 11/10 nos horários: terça à sexta-feiras, das 12h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 10h às 21h. Terças-feiras: Ingresso gratuito.